22 de Junho de 2024
22 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

VGNJUR Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2022, 19:48 - A | A

Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2022, 19h:48 - A | A

MULHER CONFESSA TER ENCOMENDADO MORTE DO MARIDO

Ana Flor confessa ter mandado matar o marido após uma briga, mas depois se arrependeu

Edina Araújo/VG Notícias

Ana Cláudia Flor confessou em depoimento à Justiça, que pagou R$ 60 mil para matar o marido, o empresário Toni Flor. Ele foi assassinado em 11 de agosto de 2020, no momento em que chegava a uma academia, no bairro Santa Marta, em Cuiabá.

A ré justificou que encomendou a morte do marido, segundo ela, teria sido agredida pelo marido. Ela disse ainda, que Toni teria ameaçado uma das filhas do casal. Ela contou que procurou por Igor Espinosa e o contratou para executar o marido – que encomendou o crime após uma briga, mas que depois se arrependeu.

Conforme Ana Cláudia Flor depois do crime começou ser cobrada e pagou R$ 20 mil ao criminoso, em um posto de gasolina, em frente à Rodoviária de Cuiabá. A mulher argumentou ainda, que todos os dias têm casos de feminicídio na imprensa – mas no caso dela parece que é um monstro.

Antes do depoimento de Ana Cláudia Flor, o assassino confesso contou que foi cobrar o restante de R$ 40 mil, combinado, e que discutiu com Ana Flor pelo não recebimento da quantia. “Ela me disse que você quer me denunciar, pode me denunciar. Falei para ela que isso acabaria com a vida dela. Um dia, ela me disse: vem aqui que vou te pagar. Mas, aí fiquei sabendo que ela queria me matar. Quando cheguei ao presídio tentaram me matar quatro vezes na igreja. Aí pedi para a advogada para ir ao isolamento. Eu fiquei quatro meses no isolamento para que não me matassem”, relatou.

Leia também

Réu confesso afirma que tinha medo de Ana Flor e que sofreu quatro tentativas de homicídio na cadeia

Acusado de intermediar morte de empresário pediu perdão para esposa na delegacia: “não queria ter feito isso”

Réu confesso de matar empresário chorou ao contar sobre crime para mãe: “não sou o filho que a senhora merece”

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760