24 de Julho de 2024
24 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

VGNJUR Sexta-feira, 20 de Maio de 2022, 09:51 - A | A

Sexta-feira, 20 de Maio de 2022, 09h:51 - A | A

Operação Parasita

Juiz solta supostos membros de facção que movimentou R$ 18 milhões com tráfico de drogas em MT

Facção teria atuação no tráfico de drogas em Mato Grosso e outros Estados

Lucione Nazareth/VGN

O juiz Jean Garcia de Freitas Bezerra, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, revogou a prisão de quatro pessoas apontadas como integrantes de uma organização criminosa, alvo da "Operação Parasita" com forte atuação no tráfico de drogas em Mato Grosso e outros Estados e que movimentando R$ 18 milhões. A decisão foi proferida nessa quinta-feira (19.05).  

De acordo com a decisão, foram revogadas as prisões de Rodrigo Araújo da Silva, Maylson Muniz Vieira, Raniere Leite Jaruzo dos Santos e Felipe Hadan da Silva Machado. Eles terão que cumprir medidas cautelares, sendo elas: manter o endereço sempre atualizado, pois necessário para a investigação ou instrução; proibição de frequentar bares, boates, bocas de fumo, prostíbulos, ou locais congêneres; recolhimento domiciliar noturno entre 22 horas e 05 horas do dia seguinte; proibição de manter contato com quaisquer dos corréus, salvo se forem cônjuges/companheiros ou parentes em linha reta ou colateral até 2º grau.  

As investigações realizadas pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Mato Grosso (Fico-MT) apontaram que eles são acusados de integrarem grupo com envolvimento no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.  

O suposto líder seria Luciano Mariano da Silva, conhecido como Marreta, atualmente preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), que adota “metodologia própria de recrutamento, recolhimento de valores por meio das determinadas camisas, caixinha e biqueiras, sem prejuízo das relações entre seus membros e as normas das demais facções”.  

Os trabalhos investigativos do Ficco-MT também constataram que havia membros em diversos estados e que foram “inúmeros os grupos de conversas identificados e analisados, a maioria criada no ano de 2019 para auxiliar na administração do tráfico de drogas nos municípios de Alta Floresta, Barra do Bugres, Cláudia, Vera, Apiacás, Feliz Natal, Nova Olímpia e Nova Mutum, regiões sob influência e controle do grupo criminoso ora investigado.

Leia Também - STF mantém Lei Seca e punição a motorista que recusar bafômetro

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760