17 de Junho de 2024
17 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Quarta-feira, 05 de Janeiro de 2022, 11:07 - A | A

Quarta-feira, 05 de Janeiro de 2022, 11h:07 - A | A

Mato Grosso

Cattani desafia MPE e garante constitucionalidade da proposta que proíbe passaporte da vacina

“Tem legalidade para contestar quando quiser”, desafiou Cattani sobre as críticas do procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges

Adriana Assunção & Kleyton Agostinho/VGN

O deputado estadual Gilberto Cattani (PSL) avalia como constitucional o Projeto de Lei n.º 780/2021, que proíbe a exigência do passaporte de vacina em Mato Grosso. Cattani é autor do 4º substitutivo integral ao projeto, que também proíbe o tratamento discriminatório quanto a exigência do passaporte vacinal, no âmbito do Estado.

A declaração do deputado foi feita após o procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, afirmar  que o Ministério Público Estadual (MPE) irá acionar a Justiça, caso a Assembleia Legislativa (AL/MT) proíba o Poder Executivo de adotar o passaporte da vacina. 

Qualquer pessoa pode contestar dentro da legalidade

Segundo Cattani, o promotor e qualquer pessoa poderá contestar dentro de sua legalidade: “O promotor de Justiça tem a visão legítima e ele pode fazer um pedido para a Justiça analisar a constitucionalidade do projeto. Nós estamos apresentando um projeto e sabemos que a Lei Federal 13.979/2020 que os municípios e Estados estão embasados, está baseado em um decreto, e esse decreto teve prazo de validade em dezembro de 2021. Então, nós acreditamos que ela não é inconstitucional, inclusive embasamos isso na Justificativa”, argumentou o deputado.

Leia mais: Líder do Governo na ALMT alega inconstitucionalidade do projeto que proíbe passaporte

O parlamentar acredita que o PL também de autoria da deputada Janaina Riva (MDB), Delegado Claudinei (PSL), Faissal (PV), Ulysses Moraes (PSL) será aprovado na sessão desta quarta-feira (05.12), após devolução do pedido de vista de 24 horas feita pelo deputado Lúdio Cabral (PT) na sessão de ontem. “Ele fazendo a devolução nós acreditamos que vamos conseguir aprovar.”

Questionado sobre a diferença do seu projeto em relação ao apresentado inicialmente pela deputada Janaina Riva, Gilberto explicou que continua proibido o passaporte da vacina, que representa, segundo ele, uma inibição do direito do cidadão de ir e vir, porém, abrange a proibição aos Poderes e outros órgãos públicos.

“O meu projeto abrange qualquer instituição, inclusive as públicas, aqui na Assembleia, por exemplo, um servidor que queira se vacinar ele tem o direito de se vacinar, é um direito dele, ele escolhe, eu quero vacinar. E aquele que falar assim, eu não quero vacinar,  ele também pode ter esse direito. A diferença é essa”, destacou o deputado.

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760