17 de Julho de 2024
17 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 16:11 - A | A

Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 16h:11 - A | A

Câmara dos Deputados

Jayme recomenda cautela ao presidente Lula sobre pedido de afastamento de Fávaro

“Compete ao presidente Lula fazer essa reflexão", diz Jayme sobre pedido de afastamento de Fávaro

Adriana Assunção & Angelica Gomes/VGN

O senador Jayme Campos (União) demonstrou cautela durante entrevista à imprensa nesta sexta-feira (21.06) ao comentar sobre uma possível demissão do ministro da Agricultura de Pecuária, Carlos Fávaro (PSD) após anulação do leilão para compra internacional de arroz por suspeita de irregularidades.

Segundo o senador mato-grossense, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) precisa aguardar o resultado das investigações antes de tomar uma decisão. Fávaro enfrenta a oposição da Câmara dos Deputados, que coletam a assinatura para criação da Comissão Parlamentar de Inquérito do Arroz (CPI do Arroz) e pressionam pela queda do ministro Fávaro.

“Compete ao presidente Lula fazer essa reflexão e se achar por bem, cabe a ele, porque o cargo é comissionado. De qualquer forma, você não pode precipitar e tomar decisão de forma açodada até que de fato seja apurado à luz do dia. Muitas vezes as acusações não têm fundamento. Eu não estou aqui para defender ninguém, muito menos para acusar. Eu acho que tem que ser apurado, tem! Agora, muitas vezes você condenar as pessoas por antecipação é muito ruim no regime democrático”, declarou Jayme.

O afastamento do ministro de suas funções foi solicitado pelo deputado federal José Medeiros (PL). Ele também sugeriu o afastamento preventivo dos ministros Paulo Pimenta da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul e Paulo Teixeira do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar.

Medeiros questionou porque o Governo Federal suspendeu o leilão e também indagou porque a demissão do ex-secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller se não havia irregularidades. Geller foi exonerado após ser identificado uma ligação do filho, Marcelo Geller com a empresa de Robson Almeida de França, que operou no leilão cancelado por suspeitas de irregularidades.

Em depoimento à Comissão de Agricultura da Câmara Federal na quarta-feira (19), o ministro Agricultura, Carlos Fávaro afirmou que “apesar do ato falho”, não houve nada de errado contra Neri, que possa sofrer qualquer tipo de condenação. “Mas precisa ser investigado.”

Leia mais: Ministro Fávaro diz que Neri precisa ser investigado e cita "ato falho"

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760