23 de Julho de 2024
23 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Brasil Domingo, 17 de Julho de 2022, 09:46 - A | A

Domingo, 17 de Julho de 2022, 09h:46 - A | A

CRIME EM FOZ

Perícia em celular de assassino de petista pode mudar rumo do caso

Delegada da Polícia Civil do Paraná afirmou que a perícia no celular do autor do crime, o bolsonarista Jorge Guaranho, pode trazer novos elementos à investigação e mudar o caso

Jorge Maciel / VGN

Após receber críticas ao anunciar a conclusão do inquérito sobre o assassinato do guarda municipal e tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) Marcelo Arruda, a delegada da Polícia Civil do Paraná, Camila Cecconello, afirmou que a perícia no celular do autor do crime, o bolsonarista Jorge Guaranho, pode trazer novos elementos à investigação e mudar o caso.

A informação foi dada à repórter Isabela Camargo, da GloboNews, no fim da noite desta sexta-feira (16/7). A declaração veio após intensas críticas dos advogados da vítima, especialistas e até mesmo políticos sobre a decisão de concluir o caso antes de peças importantes serem analisadas, como o celular do assassino.

 Ouvido na sexta-feira pelo Correio, o doutor em direito e professor de direito penal da Escola Superior de Advocacia do Rio Grande do Sul Marcelo Moura afirmou que a perícia nos telefones celulares apreendidos poderiam, "em tese, indicar premeditação”.

A delegada explicou que a conclusão do inquérito sem o recebimento da perícia nos aparelhos foi necessária para não acarretar em um prejuízo do caso. “Temos um prazo a cumprir, sob pena de que o não cumprimento do prazo pode acarretar a soltura desse suspeito, do réu, nós temos que relatar o inquérito com os elementos que nós temos e claro aguardar”, explicou.

Ela afirma que a apreensão dos celulares foi uma das primeiras medidas da polícia, que entende a importância da perícia para o caso. “A primeira providência que nós tomamos foi solicitar e foi tentar descobrir quem estava na posse desse celular, e imediatamente representamos pela apreensão do celular e pela autorização para acesso”, diz.

“E extração dos conteúdos desse celular é importante sim, porque no celular muitas vezes o autor pode ter comentado que ia fazer, pode ter dado alguma opinião. Então, a análise do celular é muito importante sim e pode trazer algum elemento novo na investigação”, afirmou Camila.

 O prazo para a entrega do inquérito terminaria na próxima terça-feira (19/7). Apesar da declaração da delegada, mais cedo na sexta-feira (15/7), durante a coletiva de imprensa para anunciar a conclusão do caso, a força policial afirmou que antecipou o fim dos trabalhos porque já tinha os elementos de que precisava para fazer o indiciamento e que não havia necessidade de esperar todas as perícias — entre elas a do celular do assassino.  

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760