24 de Junho de 2024
24 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2022, 09:43 - A | A

Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2022, 09h:43 - A | A

NO SENADO

Jayme cobra ‘freio de arrumação’ e desbloqueio de contas de empresas de MT

Das 43 pessoas jurídicas e físicas atingidas pela determinação de ministro do STF, 34 são de Mato Grosso.

Assessoria

O senador Jayme Campos (União-MT) cobrou nesta terça-feira, 6, do ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o desbloqueio das contas das empresas, cujos proprietários apoiaram os protestos em Brasília, contra o resultado das eleições. Eles enviaram carretas e caminhões à Capital Federal. Das 43 pessoas jurídicas e físicas atingidas pela determinação de ministro do STF, 34 são de Mato Grosso.

Em pronunciamento em plenário, o senador mato-grossense, que tem cobrado responsabilidade dos manifestantes quanto ao direito de ir e vir das pessoas, disse considerar os protestos democráticos por representarem, acima de tudo, “a demonstração de que todos nós temos o direito de liberdade de expressão”.

Campos frisou que a decisão do ministro do STF aconteceu há 30 dias.

“Por isso eu acho - eu, pessoalmente, na minha modesta opinião - que nós temos que fazer aqui, num termo bem chulo, um freio de arrumação” – disse o senador. “Confesso que, como cidadão brasileiro, eu tenho certeza do direito de externar minhas opiniões, sejam elas as que agradam ou desagradam – ele ponderou. Agora, agir da forma que está agindo, eu acho que nós temos que fazer algo”.

Jayme Campos disse ter admiração e respeito ao ministro do STF e presidente do TSE, mas criticou que tais decisões ocorram de forma monocrática. Ele defende que o assunto dessa magnitude seja tratado no âmbito do colegiado do STF.

O senador mato-grossense pediu que Moraes reveja rapidamente a decisão de bloqueio das contas. Ele alertou que esses empresários geram milhares de empregos e estão em situação difícil em Mato Grosso: “Alguns, com certeza, vão até quebrar, porque quem fornece a eles, ou seja, o seu motorista, o seu trabalhador quer receber o seu salário no dia 30 e, hoje, estão impossibilitados” - frisou.

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760