21 de Julho de 2024
21 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Terça-feira, 17 de Maio de 2022, 13:33 - A | A

Terça-feira, 17 de Maio de 2022, 13h:33 - A | A

apuração paralela

Garcia é contra auditar urnas por empresa privada como propõe PL de Bolsonaro

O TSE garantiu que o nível de confiança das urnas eletrônicas é superior a 99%

Adriana Assunção & Kleyton Agostinho/VGN

O senador em exercício Fábio Garcia (União-MT) comentou a tensão entre os Poderes causada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao defender a interferência das Forças Armadas nas eleições. A tensão começou quando o Ministério da Defesa (Forças Armadas) – Ministério subordinado à Presidência - questionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o sistema de votação recomendando a fiscalização e auditoria.

Contudo, em resposta, o TSE garantiu que o nível de confiança das urnas eletrônicas é superior a 99% e afirmou que o Ministério da Defesa errou os cálculos e confundiu conceitos ao apontar riscos no teste de integridade das urnas eletrônicas. O presidente do TSE disse, na semana passada, que eleições são um processo de gente desarmadas, não de forças armadas.

_ “Isso tem que ser esclarecido o mais breve possível, pois não podemos ter uma eleição com dúvidas, sem ter confiança no sistema eleitoral brasileiro. O Brasil vem usando o sistema há 26 anos, então, quaisquer eventuais dúvidas que possam se ter sobre o processo, sobre os procedimentos apuração, precisam ser esclarecida antes da eleição para que possamos ter um processo tranquilo e seguro, que todos os brasileiros possam ter confiança em nosso sistema. Já houve mais de uma dezena de auditorias e nunca se comprovou qualquer falha”, declarou Garcia, sem se posicionar a favor ou contra o processo eleitoral, que o elegeu deputado federal entre 2015-2019.

Leia mais: PL quer contratar auditoria privada para fiscalizar eleições; Fagundes diz que intenção é garantir segurança do pleito

Sem questionar as alegações do presidente da República, Fábio Garcia discordou que seja criada uma auditoria privada para fiscalizar e acompanhar as eleições conforme sugerido pelo presidente do PL, Valdemar da Costa Neto.

“Não posso falar pelo presidente, defendo que as dúvidas sejam esclarecidas. Mas a apuração tem que ser única, com resultado único, que não tenha dúvida sobre resultado”, encerrou.

Leia mais: TSE diz que nível de confiança das urnas eletrônicas é superior a 99%, e nega “sala secreta” para totalizar votos

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760