24 de Julho de 2024
24 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2022, 10:40 - A | A

Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2022, 10h:40 - A | A

decisão das lideranças

Dinheiro do orçamento secreto será repartido entre emendas individuais e ministérios, diz deputado

Líderes partidários decidiram repartir dinheiro do orçamento secreto entre as emendas impositivas individuais e a rubrica de despesas discricionárias do Executivo

Lucione Nazareth/VGN

O relator da PEC da Transição (PEC 32/22), deputado Elmar Nascimento (União-BA), disse nessa terça-feira (20.12) que os recursos anteriormente destinados ao chamado orçamento secreto serão repartidos entre as emendas impositivas individuais e a rubrica de despesas discricionárias do Executivo Federal.

Na segunda (19), Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional o orçamento secreto, mecanismo de distribuição de emendas parlamentares cuja destinação era definida pelo relator do Orçamento, dando ao Congresso maior controle sobre os recursos públicos. Leia Mais - Por maioria, STF derruba orçamento secreto: “Falta de Transparência”

Nessa terça (20), Elmar Nascimento disse que as lideranças, entre eles os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), decidiram que os R$ 19,4 bilhões destinado ao orçamento secreto serão rateados entre emendas individuais e programações de execução discricionária pelo Executivo.

Pelo texto, o relator-geral poderá apresentar até R$ 9,85 bilhões em emendas para políticas públicas (50,77% dos R$ 19,4 bilhões das emendas de relator consideradas inconstitucionais).

A outra metade foi direcionada para emendas individuais, que passam de R$ 11,7 bilhões em 2023 (R$ 19,7 milhões por parlamentar) para R$ 21,55 bilhões. Entretanto, daqui por diante, a divisão não será mais igualitária entre senadores e deputados.

“Decidimos, por um acordo que envolveu todas as forças políticas desta Casa – tanto de governo quanto de oposição – que 50% dos R$ 19 bilhões atribuídos às famosas RP9, ou seja, as emendas de relator, fossem atribuídos às emendas individuais na proporção de 2/3 para a Câmara e 1/3 para o Senado, e os outros 50% serão distribuídos na forma do mandamento do acórdão proferido pela maioria do Supremo Tribunal Federal para ser executado diretamente pelos ministérios”, disse Elmar Nascimento.

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760