21 de Julho de 2024
21 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2022, 08:02 - A | A

Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2022, 08h:02 - A | A

ampliação dos gastos

Congresso promulga PEC da Transição com ampliação do teto em R$ 145 bilhões

Proposta mantém o valor de expansão do teto de gastos em R$ 145 bilhões, com prazo de vigência desta regra extraordinária para um ano

Lucione Nazareth/VGN

O Congresso Nacional, em sessão solene semipresencial realizada na noite dessa quarta-feira (21.12) no plenário do Senado, promulgou a Proposta de Emenda à Constituição da Transição (PEC 32/2022) – chamada de PEC da Transição ou PEC fura-teto -, que exclui R$ 145 bilhões do teto de gastos, e que a justificativa de manutenção do Auxílio Brasil de R$ 600 [que voltará a se chamar Bolsa Família].

Com a promulgação, as mudanças propostas no texto passam a fazer parte da Constituição por meio da Emenda Constitucional 126/2022, e também permite que a Comissão Mista de Orçamento vote a Lei Orçamentária Anual (LOA) na reunião da comissão marcada para manhã de hoje (22).

Leia Mais - Câmara dos Deputados aprova PEC que viabiliza manutenção do Auxílio Brasil de R$ 600

A PEC permite que novo Governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenha R$ 145 bilhões para além do teto de gastos, dos quais a previsão é de que R$ 70 bilhões sejam utilizados para custear o Auxílio Brasil de R$ 600, assim com um adicional de R$ 150 por criança de até 6 anos.

O Governo poderá utilizar outros R$ 75 bilhões em despesas de políticas de saúde, entre elas o programa Farmácia Popular e o aumento real do salário mínimo. A validade desses gastos extra-teto é de um ano.

Além disso, a PEC também alterou a destinação dos recursos chamado orçamento secreto que serão repartidos entre as emendas impositivas individuais e a rubrica de despesas discricionárias do Executivo Federal. A Câmara ficará com 77,5% do valor global das emendas individuais; e o Senado, com 22,5%.

Leia Mais - Dinheiro do orçamento secreto será repartido entre emendas individuais e ministérios, diz deputado

Lembrando que o orçamento secreto foi considerado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia Mais - Por maioria, STF derruba orçamento secreto: “Falta de Transparência”

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760