21 de Julho de 2024
21 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Cidades Sábado, 15 de Abril de 2023, 07:58 - A | A

Sábado, 15 de Abril de 2023, 07h:58 - A | A

Em Várzea Grande

Pais relatam preocupação e medo com ameaças de ataques nas escolas de VG: "Estou em pânico e amedrontada"

As mães que foram ouvidas tem filhas de 4 e 16 anos de idade

Izadora Fernandes/VGN

Nas últimas semanas professores, alunos e pais estão recebendo vários alertas sobre possíveis ataques nas instituições de ensino, e com os recentes episódios de atentados nas escolas e muitos resultaram em morte, as ameaças tem causado pânico.

Com isso, a reportagem do conversou com alguns pais para saber como eles estão lidando com toda essa situação.

"É horrível! Nossos filhos não têm segurança nenhuma, mando minha filha para a escola morrendo de medo. Tudo isso é muito triste, preocupante, imaginar a dor de um pai, uma mãe perder seu filho é muito triste, nós não sabemos se os nossos filhos que estão indo para escola se eles vão voltar, estamos vivendo no medo e na incerteza", relatou Edilaine Maria, que tem uma filha de 16 anos.

Para dona Fabiana Lemes, que tem uma filha de 4 anos e que está na fase de alfabetização e necessita frequentar a escola, essas ameaças te trazem pânico. "Estou em pânico e amedrontada! Não estou mandando minha filha para a escola, sei que essas faltas prejudicam o desenvolvimento dela até porque ela está na fase de alfabetização".

Ela ainda relatou que passou a tentar explicar à sua filha como se proteger. "Ontem conversei com ela, tentei explicar que se ela visse alguém estranho na escola era para ficar longe, e se ouvisse gritos, era para ela se esconder e ficar quietinha. Como se ensina uma criança de 4 anos a se proteger nessa situação? Só de pensar em algo assim já fico em pânico", descreveu Fabiana.

A reportagem do também ouviu estudantes das escolas de Várzea Grande que contaram sobre a insegurança que sentem diante desses fatos.

"É algo que dá medo, que dá uma certa insegurança e desmotiva. Eu como aluna me sinto muito desmotivada em saber que a minha escola não tem a segurança devida. Teve uma ameaça na minha escola e a galera está com muito medo, sabendo que os responsáveis de lá aparentemente não tomam nenhuma medida", contou.

Para a estudante, a implantação de medidas preventivas irá trazer alívio, pois muitos alunos estão faltando às aulas por medo.

"É muito importante que tenha medidas preventivas nas escolas para que o aluno se sinta mais aliviado ao ir, porque está havendo muitas ameaças e querendo ou não a gente fica com medo disso ao ponto de faltar nas aulas, e o mais prejudicado é nós mesmo", afirmou.

Já uma outra estudante relatou que muitos desses ataques são por atenção ou fama. No entanto, ela não descarta que possa haver casos de pessoas que tenham algum tipo de transtorno mental. "Eu não tenho uma opinião certa sobre essa questão, mas acredito que alguns estão fazendo isso por atenção ou fama, mas também tem aqueles que podem ter algum transtorno mental. Mas no geral tenho um certo medo de realmente acontecer essas ameaças”, disse.

De acordo com a aluna, a escola onde estuda passou a ter policiais em frente para tentarem ter controle de quem entra e sai, e que além disso, passaram também a fazer contagem de aluno", finaliza. 

O informa que os estudantes não permitiram ter a identidade revelada, por isso, optaram em se manter anônimas.

Leia mais - Estudantes são dispensados após suposto ataque na UFMT

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760