15 de Junho de 2024
15 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Cidades Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2022, 13:50 - A | A

Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2022, 13h:50 - A | A

Em dificuldades

Família de VG organiza rifa para construir quarto adaptado para filha com múltiplas deficiências

Valentina nasceu com 24 semanas e com hidrocefalia grau 4, considerado grau o mais grave da doença

Adriana Assunção/VGN

A moradora do bairro Maringá III,  em Várzea Grande, Jessica das Dores dos Santos Almeida pede ajuda para custear os gastos e adaptar o quarto da filha Valentina dos Santos Ferreira, 7 anos, que nasceu com hidrocefalia. Jessica conta que Valentina nasceu com 24 semanas e com hidrocefalia grau 4, considerado grau mais grave da doença. 

“Em razão da prematuridade, Valentina teve sequelas. Ela não anda, não fala, não enxerga e de alguns anos para cá começou a piorar seu quadro de saúde. Eu venho pedir ajuda de vocês para ver se eu consigo construir um quartinho para ela, para dar um conforto melhor de vida para minha filha, porque no momento a gente é assalariado, meu marido trabalha e além dela temos mais três crianças. Fica difícil para a gente construir sozinho. Ela também precisa de fraldas, cadeira adequada porque a dela já está pequena, leite que custa R$ 150, aspirador, outros materiais”, relatou Jessica.  (Veja abaixo como ajudar)

Já temos uma cama hospitalar

A Família é composta por seis integrantes, o casal, Valentina de 7 anos, uma menina de dois anos, um menino de 5 anos e outro de 3 anos.

A mãe de Valentina relatou ainda, que está desde o dia 19 de dezembro de 2021, com a filha internada no Pronto-Socorro de Várzea Grande, em razão de uma convulsão. Desde de então, o quadro de saúde piorou e os gastos aumentaram.

“Ela ficou roxa e a gente veio ao Pronto-Socorro de Várzea Grande, chegando aqui ela teve duas paradas, nisso que deu a parada, o pulmão dela fechou, a médica resolveu fazer a traqueo para ajudá-la a respirar melhor. Ela é uma criança espacial, que não se alimenta pela boca, só se alimenta por sonda e tudo em relação ao tratamento dela custa caro”, contou.

Leia também: Serial killer que agia com ‘requintes de crueldade’ e comia órgãos de vítimas é preso em Cuiabá

Segundo Jéssica, a iniciativa em realizar a rifa foi de uma parente, ela conta, que sua casa é bem precária, quando chove molha por causa de goteiras no telhado, contudo, sua prioridade é arrumar o quarto de Valentina.

“Estamos passando situações difíceis, a gente não conseguiu receber nada do Governo, eu consegui só um auxílio, mas, o auxílio que a gente recebe mal dá para comprar as coisas dela e como estamos aqui no Pronto Socorro internado desde o dia 19 de dezembro, a tia da minha cunhada resolveu fazer essa rifa para poder levantar o dinheiro. O quarto precisa ser adaptado para ela. Vamos precisar de tijolos, areia, cascalho, parte elétrica, o quarto precisa ser forrado e queremos colocar um ar-condicionado”, relatou Jessica.

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Álbum de fotos

Arquivo pessoal

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760