17 de Junho de 2024
17 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Quarta-feira, 04 de Maio de 2022, 11:05 - A | A

Quarta-feira, 04 de Maio de 2022, 11h:05 - A | A

deu no Estadão

Presidente da Petrobras diz que é injusto culpar estatal por alta de preço dos combustíveis e coloca pandemia como vilã

Segundo novo presidente da Petrobras, desafio principal agora será melhorar a comunicação da empresa com a sociedade

Lucione Nazareth/VGN

O novo presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, afirmou que não é justo culpar a estatal pela alta dos preços dos combustíveis, e que a verdadeira vilã é a “volatilidade do mercado de petróleo, por conta da pandemia e da guerra na Ucrânia”. A declaração foi dada em entrevista concedida ao site Estadão e publicada nesta quarta-feira (04.05). 

Na entrevista, Coelho disse que existem muitas variáveis para elevação do preço dos combustíveis, e que isso faz com que a Petrobras não tenha “controle total” sobre o valor final do produto. 

“A volatilidade depende de muitos fatores que a gente não tem o controle, depende, por exemplo, de como vai evoluir a questão da Covid, os lockdowns na China, como vai evoluir o conflito entre Rússia e Ucrânia. Então, são muitas variáveis que estão nessa cesta e acaba que a gente não tem o controle total, a gente vive um momento atípico. Dentro desse momento atípico, você tem que olhar com atenção e não repassar toda a volatilidade para o consumidor brasileiro”, disse o novo presidente da estatal. 

Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro (PL) já entendeu como funciona a política de preços da Petrobras, e que o atual chefe do Executivo não o pressiona por mudanças sobre o tema.

 “O presidente já entendeu muito bem a questão de preço de mercado. Li uma reportagem recente que o presidente fala claramente assim: o Governo tem que ter soluções para os preços dos derivados. Acho perfeito. Ele colocou perfeitamente ali. O Governo precisa criar os mecanismos e instrumentos para (minimizar os efeitos de) casos de aumento de preço dos combustíveis em momentos atípicos como este que vivemos”, declarou Coelho. 

José Mauro destacou que pelo fato da Petrobras ser “uma empresa de capital aberto, listada em bolsa, e por conta de toda legislação existente interna e externamente, ela deve praticar preços de mercado”.

 “A Petrobras hoje é uma empresa extremamente saudável do ponto de vista financeiro, nem sempre foi assim. Em 2014, tinha uma dívida de US$ 160 bilhões por causa de uma política equivocada, uma política relacionada a preços de combustíveis. A empresa foi saneada e hoje é uma empresa robusta e resiliente financeiramente”, relatou. 

Ainda segundo ele, com o fim das discussões com o Governo em torno da política de preços e dos reajustes dos combustíveis, o desafio principal agora será melhorar a comunicação da empresa com a sociedade, sendo que uma das medidas que serão adotadas consiste em intensificar o uso das redes sociais. 

"Claro que a grande mídia é importante, claro que a Petrobras acaba tendo recursos limitados também nessa grande mídia, mas tenho incentivado muito o nosso pessoal aqui a trabalhar com redes sociais. O pessoal já falou que estou muito ativo na rede social. Esse é um movimento importante. É onde a população está hoje, ela entende essa mídia. Temos que nos comunicar nessa mídia. Tenho incentivado. Quer se comunicar com a população ? Tem que estar no LinkedIn, no Instagram, no Twitter", finalizou Coelho.

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760