16 de Junho de 2024
16 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Política Quarta-feira, 29 de Junho de 2022, 15:52 - A | A

Quarta-feira, 29 de Junho de 2022, 15h:52 - A | A

reality show

Deputados criticam secretário de Cultura por falta de análise em indicação de emenda; pagamento de reality é suspenso

O deputado de oposição ao Governo, Ulysses Moraes (PTB) destacou que "deputado não paga emendas" e apontou que a Secretaria é quem recebe o projeto, aprova e paga: “inclusive tem um fiscal de contrato”.

Adriana Assunção/VGN

O secretário de Cultura, Esporte e Lazer do Estado, Jefferson Carvalho Neves, encaminhou ofício aos organizadores do reality show "Casa Digital MT", suspendendo o pagamento das emendas até que as investigações do Ministério Público apurem suposta irregularidade na finalidade do projeto. A suposta irregularidade foi denunciada pelo próprio autor da emenda, deputado Eduardo Botelho (União), que alega desvio de finalidade.

"Por este motivo, orientamos que se aguarde o desfecho do ocorrido, bem como do procedimento instaurado no MP/MT a pedido do próprio parlamentar”, cita trecho do documento assinado pelo secretário.

O documento foi enviado em meio a polêmica e críticas de deputados durante a sessão ordinária desta quarta-feira (29.06) da Assembleia Legislativa. Entre as críticas, consta o questionamento do deputado Wilson Santos (PSD) ao secretário Jefferson Neves.

Se eu então colocar uma emenda para abrir uma casa de prostituição no centro de Cuiabá a Secretaria vai autorizar? Para distribuir drogas para adolescentes, ela vai autorizar?

Segundo Wilson Santos, Neves deveria "filtrar" a emenda impositiva destinada por Botelho. Ele, sem citar o nome do ex-deputado Jajah Neves, responsável pelo reality show , afirmou que todos os deputados estão sujeitos a pessoas aproveitadoras e reforçou o pedido de transparência com recursos públicos.

“O presidente, às vezes, do alto de suas responsabilidades, não tem tempo para escolher com critério e examinar com rigor a composição de sua assessoria e tem muita gente esperta aí, que já vem dando golpe há muito tempo aqui em Várzea Grande, aqui em Cuiabá, aqui em Mato Grosso e que vossa excelência com o coração do tamanho que possui, às vezes não releva a importância da ficha de folha corrida e acaba sendo aproximado de pessoas que o tem apenas para levar vantagens e benefícios pessoais. Todos nós estamos sujeitos a esse tipo de gente.”

Wilson ainda mandou recado a Secretaria: “nenhuma emenda pode ser paga sem a devida análise, sem a correta análise. No exército aprendi que ordem absurda não se cumpre, se eu então colocar uma emenda para abrir uma casa de prostituição no centro de Cuiabá a Secretaria vai autorizar? Para distribuir drogas para adolescentes, ela vai autorizar? Claro que não! É algo que tem o freio de arrumação se a equipe do deputado se equivocou”, exaltou o deputado.

Leia mais: Botelho pede ao MP investigação sobre possível desvio de finalidade no recurso destinado ao reality "Casa Digital MT"

 

Já o deputado de oposição ao Governo, Ulysses Moraes (PTB), destacou que "deputado não paga emendas" e apontou que a Secretaria é quem recebe o projeto, aprova e conclui o pagamento: “inclusive tem um fiscal de contrato”.

Leia mais: Mendes quer "barrar" uso de recursos da Cultura em shows nacionais e propõe apoio somente aos artistas de MT

Buscando "apaziguar" os ânimos, Botelho, não se eximiu da culpa, voltou a pedir desculpas, exigiu a devolução do dinheiro. Ele defendeu que a Casa de Leis e o Poder Executivo criem mecanismos para evitar que outros deputados “passem pela vergonha que tem passado”.

“Eu realmente não conhecia o projeto, porque o projeto não foi apresentado para o deputado. O deputado faz a destinação de recurso e a destinação impositiva ela não quer dizer obrigatória para qualquer coisa. Quem faz análise evidentemente, não vou tirar minha culpa, não estou jogando em ninguém. Houve falha mesmo, por isso estou pedindo, exigindo que seja feita a devolução porque o intuito não era isso”, reclamou.

Segundo Botelho, o fato tem sido usado como uma arma pelos inimigos. “Foi uma arma potente para aquelas pessoas que não gostam de mim. Evidentemente todos tem alguém que não gosta dele, eu também tenho. Alguns adversários, alguns que querem me ver destruído, evidentemente foi uma arma para eles me atacarem e eu tenho que aguentar quieto, porque realmente foi um erro que cometi.”

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760