22 de Junho de 2024
22 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Cidades Quinta-feira, 08 de Junho de 2023, 18:27 - A | A

Quinta-feira, 08 de Junho de 2023, 18h:27 - A | A

reconhecimento do território

Geoparque Chapada dos Guimarães recebe avaliadores da UNESCO

Se tornar um Geoparque é uma forma de valorizar e dar mais visibilidade ao território e suas características

Carlos Oliveira/VGN

O Geoparque Chapada dos Guimarães receberá os avaliadores da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), visando o reconhecimento do território como um Geoparque Global da UNESCO. A visita ocorrerá entre os dias 9 e 14 de junho.

Os Geoparques Globais são áreas geográficas unificadas, onde locais e paisagens de importância geológica internacional são gerenciados com base em um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. O conceito de Geoparque vem avançando desde 2004 quando foi criada a Rede Mundial de Geoparques e, a cada ano, tem se tornado mais popular.

Atualmente, existem 195 Geoparques Globais da UNESCO, em 48 países, no Brasil existem atualmente 5 geoparques reconhecidos, sendo eles, Araripe (CE), Seridó (RN) e Cânions do Sul (RS/SC), Caçapava (RS) e Quarta Colônia (RS).

Um Geoparque não trata apenas da geologia, ele tem o objetivo de desenvolver e celebrar as ligações entre o patrimônio geológico e todos os outros aspectos do patrimônio natural, cultural e imaterial da área. São locais baseados no geoturismo, educação e geoproteção.

O geoparque Chapada dos Guimarães possui como área os limites do município de mesmo nome e é coordenador pela Prefeitura Municipal, por meio de um comitê gestor composto por inúmeras instituições.

Foto: Divulgação

geoparque-lagoa-azul.jpeg

Caverna Lagoa Azul

A cidade se enquadra em todos os requisitos para se tornar um Geoparque. Sua diversificada oferta turística e seu patrimônio natural e cultural propiciam uma vocação para o segmento de turismo de natureza, ecoturismo e turismo de experiência. As rochas da região contam a história de uma antiga cordilheira de montanhas, mares, desertos, vulcanismos e antigos sistemas de rios que, hoje, guardam importantes aquíferos como o do Guarani.

Na região também existem fósseis de animais marinhos como os braquiópodes e trilobitas, e animais terrestres como os dinossauros. Além disso, o município possui diversas cavernas, cachoeiras, mirantes, saborosa gastronomia, histórias que marcaram a mineração de diamantes nos séculos passados e povo acolhedor.

Foto: Carlos Oliveira

geoparque-cambambi.jpeg

Morro do Cambambe, local onde são encontrados fósseis de dinossauros desde o século XIX

Se tornar um Geoparque, é uma forma de valorizar e dar mais visibilidade ao território e suas características. Fortalecer alternativas de desenvolvimento sustentável, melhorar a educação e o acesso a ciências, promover uma gestão territorial adequada e fomentar o turismo e da indústria criativa.  Ou seja, inúmeros pontos positivos são aguçados com essa iniciativa. 

Durante a visita dos avaliadores, a comissão de pesquisadores e autoridades locais, visitarão diversos atrativos do município, além de participar de programações culturais, reuniões temáticas entre outras atividades.

Leia também: Jùlio Campos diz que Ministro Barroso pode vir a MT para discutir disputa territorial com o Pará

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760