21 de Julho de 2024
21 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Variedades Sábado, 08 de Abril de 2023, 10:32 - A | A

Sábado, 08 de Abril de 2023, 10h:32 - A | A

automobilismo

Quem da F1 está entre mais ricos do mundo

Segundo o ranking anual divulgado pela revista Forbes, todos os bilionários ligados à categoria enriqueceram com cargos administrativos.

Folhapress/ Pietra Carvalho

O dono da Red Bull, o vice-presidente da Ferrari e o pai de um dos atuais pilotos do grid são algumas das figuras da Fórmula 1 entre as pessoas mais ricas do mundo.

Segundo o ranking anual divulgado pela revista Forbes, todos os bilionários ligados à categoria enriqueceram com cargos administrativos. Nenhum piloto faz parte do seleto grupo.

*
37: MARK MATESCHITZ, 30
Herdou 49% das ações da Red Bull, dona da Red Bull Racing, atual campeã de construtores.
Fortuna de US$ 34,7 bilhões.
Filho único de Dietrich Mateschitz, morto de câncer em outubro de 2022, aos 78 anos.

Após a morte do pai, não assumiu cargos administrativos na RBR, mas continua sendo um de seus donos.

Dietrich cofundou a Red Bull nos anos 1980 ao lado do tailandês Chaleo Yoovidhya; seu filho, Chalerm, também continua sendo acionista.
A Red Bull vendeu 11,6 bilhões de latinhas de energético em 2022.
208: JOHN MALONE, 82
Proprietário da Liberty Media, dona da F1 desde 2017.
Fortuna de US$ 9,2 bilhões
Enriqueceu no segmento de mídia, comunicação e televisão, começando seus negócios como sócio da empresa de TV a cabo TCI.

Ele se tornou CEO em 1973, aos 29 anos, e vendeu a empresa para a AT&T por mais de US$ 50 bilhões, em 1999. $50 billion in 1999.

Depois disso, o empresário norte-americano passou a investir no segmento esportivo, comandando o time de baseball Atlanta Braves, a equipe de Indy Meyer Shank Racing e a F1.

Malone já chegou a fazer parte do quadro de sócios da Lions Gate, estúdio responsável por franquias como John Wick e Jogos Vorazes, mas se aposentou em 2018.

466: PIERO FERRARI, 77
Dono de 10% da Ferrari e vice-presidente da empresa.
Filho do fundador, Enzo.
Fortuna de US$ 5,7 milhões.

Presença constante em eventos da escuderia, como a ativação do motor do carro usado na temporada de 2023.

Se tornou um bilionário em 2015, quando a Ferrari colocou suas ações na bolsa de Nova York.

Ele se tornou único herdeiro do império do pai depois que seu irmão, Dino Ferrari, morreu em 1956.

Piero é apoiador do Centro Dino Ferrari, que faz pesquisas sobre distrofia muscular, a doença que matou
787: LAWRENCE STROLL, 63
Sócio majoritário da Aston Martin na Fórmula 1, ele é pai de Lance Stroll, que corre pela equipe.

A fortuna do canadense é de US$ 3,6 bilhões.

Ele enriqueceu com o setor da moda, principalmente vendendo suas ações na grife Michael Kors; a última delas foi negociada em 2014.

O empresário tem uma coleção de Ferraris vintage, adquirindo uma delas por US$ 27,5 milhões (R$ 148 milhões, na cotação atual).
Ele entrou na Fórmula 1 em agosto de 2018, quando liderou um grupo de investidores que comprou a Force India; a equipe foi arrematada por US$ 90 milhões.

Stroll e seus parceiros rebatizaram a equipe como Racing Point, mas a identidade durou apenas até 2021, quando ele fechou acordo com a Aston Martin, conhecida por ser a "escolha" do espião James Bond.

Quando o contrato foi fechado, a Aston estava à beira da falência. Segundo o jornal The Guardian, um acordo de recuperação envolvendo 500 milhões de libras, foi liderado pelo bilionário, ligando a marca à Fórmula 1 por pelo menos dez anos.

1027: BERNIE ECCLESTONE, 92
Ex-chefão da Fórmula 1; vendeu a categoria por US$ 8 bilhões, em 2016.

Fortuna de US$ 2,9 bilhões.

Foi piloto de corridas no final dos anos 1950 e depois chefe da equipe Brabham.

Casado desde 2012 com uma brasileira, Fabiana, ex-diretora de marketing do GP do Brasil.

Os dois chegaram a morar em uma fazenda do empresário no interior de São Paulo, mas se mudaram para a Suíça durante a pandemia.

Foi pai aos 89 anos, em 2020, de um menino chamado Ace; ele tem outras três filhas, já adultas.

Aparecida, mãe de Fabiana, foi sequestrada em 2016; o empresário se recusou a pagar o resgate, mas ela foi libertada nove dias depois.

Britânico foi preso em maio de 2022, no Aeroporto de Viracopos, por carregar arma de fogo irregular.

É investigado na Justiça de seu país natal por supostamente esconder 400 milhões de libras em um fundo em Singapura.

2540: TOTO WOLFF, 51 ANOS
Diretor-executivo da Mercedes AMG-Petronas.

Dono de 33% da equipe, sendo um dos três maiores sócios.

Também é acionista minoritário da Aston Martin na F1.

Essa é a primeira vez que o empresário austríaco aparece na lista.

Fortuna de US$ 1 bilhão.

Tem 3 filhos, um deles com Susie Wolff; ela quebrou jejum de 22 anos sem pilotos mulheres na F1.

À frente da Mercedes, ganhou oito campeonatos de construtores e sete de pilotos; seis com Lewis Hamilton e um com Nico Rosberg.

Ele se aventurou como piloto aos 17 anos, competindo na Fórmula Ford austríaca, mas se aposentou três anos depois.

Trabalhou como banqueiro na juventude, entrando para a F1 em 2009, como investidor na Williams.

Migrou para a Mercedes em 2013.

Leia mais; Homem é preso acusado de estuprar crianças e família diz que suspeito tem deficiência mental

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760