21 de Julho de 2024
21 de Julho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Polícia Sexta-feira, 23 de Junho de 2023, 09:30 - A | A

Sexta-feira, 23 de Junho de 2023, 09h:30 - A | A

desmatamento

PF destrói maquinários para extração ilegal de madeira no parque indígena em MT

A Operação Prepori investigou uma organização criminosa composta por madeireiros locais e líderes indígenas

Giovanna Bitencourt/VGN

A Polícia Federal concluiu, nesta sexta-feira (23.06), a Operação Prepori, que investigou uma organização criminosa, composta por madeireiros locais e líderes indígenas, por diversos crimes de desmatamento, corte seletivo e furto de bens da União no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso, nos municípios de Feliz Natal, Nova Ubiratã, Paranatinga e União do Sul. Durante a Operação, foram destruídos tratores, maquinários e um caminhão toreiro.

A investigação iniciou após inúmeras denúncias de extração ilegal de madeira por uma organização criminosa, na região do Entre Rios, em Nova Ubiratã. As denúncias apontaram que a organização estaria tendo grandes lucros com a atividade ilegal e impondo silêncio à maioria indígena descontente.

A equipe policial apurou diversas de clareiras de extração recente de madeira em uma área degradada, com um total de 7,8 mil hectares, equivalente a cerca de R$ 170 milhões. Além disso, também foram constatadas áreas de extensão com cicatrizes de queimadas, que também possuíam índicos de exploração ilegal de madeira. O prejuízo da destruição de recursos florestais, somado à degradação ambiental dentro da terra indígena, corresponde a cerca de R$ 1,7 bilhão.

A Polícia Federal realizou infiltrações por terra e ar em pontos específicos das terras indígenas, e constataram, também, inúmeras esplanadas de madeira com grande volume de toras recém-abatidas, pátios de desdobramento de lascas e palanques feitos de essências florestais de grande valor como Itaúba, Morcegueira, Cambará e Angico.

A Operação foi composta por mais de 90 agentes da Polícia Federal e do Ibama, e teve apoio da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), Técnicos em Comunicação do Ciosp-MT e do Exército Brasileiro. Foram utilizadas duas aeronaves do Ibama e uma do Ciopaer.

As informações extraídas na Operação irão compor um dossiê sobre a degradação do vale Alto Rio Xingu, que irá reforçar o inquérito policial, visando agregar provas para a prisão dos autores do crime. Após a ação policial no Parque Indígena, as investigações irão prosseguir para responsabilizar os financiadores e envolvidos na extração ilegal de madeira no território indígena.

Leia mais - Dupla envolvida em execução com requintes de crueldade de sargento morre em confronto com PMs

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Álbum de fotos

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

PF

A Operação investigou extração ilegal de madeira no Parque Indígena do Xingu (PIX), em Mato Grosso

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760