22 de Junho de 2024
22 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

No Alvo Quinta-feira, 06 de Junho de 2024, 14:34 - A | A

Quinta-feira, 06 de Junho de 2024, 14h:34 - A | A

A PF DEU RAZÃO

A saga de Wilson Santos: Deputado denunciou facções na política, foi ridicularizado, mas estava certo

Operações da PF em 2024 mostraram que discurso de parlamentar contra facções estava correto

O deputado estadual Wilson Santos (PSD) passou mais de um ano sendo criticado e ridicularizado por colegas por denunciar a ligação de políticos de Mato Grosso com a facção criminosa Comando Vermelho. 

Neste período, foi alvo da imprensa, de muitos colegas do meio político e até mesmo por eleitores. Em setembro de 2023, Wilson foi acionado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) por conta das denúncias. Ele foi acusado pela PGE de prevaricação por não apresentar provas daquilo que estava denunciando. 

Na época, o parlamentar era uma voz solitária no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) repetindo o tempo todo que nos bairros de Cuiabá e Várzea Grande só poderiam fazer campanha os "escolhidos" pela facção. Em abril deste ano, após a deflagração da Operação Apito Final, Wilson voltou a denunciar:

"Sou um parlamentar que tem reverberado que as facções criminosas estão no Legislativo, No Executivo, no Judiciário, nas forças de segurança, nas igrejas, nos centros espíritas, no esporte, isso é generalizado", afirmou. 

Em 2023, Santos também criticou o então secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamente, que teria ignorado sua denúncia por ligação de de deputados com o crime organizado. O ex-secretário sequer foi convocado para prestar depoimento na ALMT sobre o assunto, apesar de requerimento sobre o tema. 

Nesta terça-feira (06), o site Olhar Jurídico e a reportagem do publicaram a informação de que a Polícia Federal interceptou mensagens em que o ex-secretário Bustamente é apontado como beneficiário de pagamento de propina de R$ 20 mil para transferir faccionados da Penitenciária Central do Estado (PCE). O ex-secretário nega as acusações. 

Estas e outras acusações estão presentes nos relatórios investigativos produzidos pela Polícia Federal na Operação Ragnatela, deflagrada na última quarta-feira (05). São mais indícios que podem comprovar a afirmação do deputado: as facções estão manchando a política de Mato Grosso. 

Leia mais: Jovem é executado após ler aviso de facção criminosa no interior de MT

 
 
 
 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760