17 de Junho de 2024
17 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Eleições 2022 Segunda-feira, 12 de Setembro de 2022, 16:13 - A | A

Segunda-feira, 12 de Setembro de 2022, 16h:13 - A | A

coletiva

Com direito a desafio, Neri Geller vê tentativa de “tapetão” superado e diz que TRE-MT “fez justiça”

Segundo o candidato, ao cassar seu mandato, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi induzido ao erro pelo Ministério Público.

Adriana Assunção & Kleyton Agostinho/VGN

O candidato ao Senado, Neri Geller (PP) garantiu em entrevista coletiva nesta segunda-feira (12.09), que irá vencer as eleições e não será vencido no “tapetão”. Geller relatou que sofreu por 15 dias até seu registro de candidatura ser deferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT).

“Nós vamos ganhar as eleições nas urnas e não vamos perder no tapetão. O tapetão eu acho que foi superado, espero que nosso adversário aprenda com isso. Faz como eu, vá trabalhar e atenda os prefeitos, bota recurso 100% lá na ponta como nós colocamos, que aí dá para fazer o enfrentamento no diálogo”, garantiu Neri.

Com a decisão do Tribunal, Geller afirmou que está com “a alma lavada” e contou que teve dificuldades de explicar ao eleitor porque não tinha o registro de candidatura. Segundo ele, apesar das dificuldades jurídicas, recebeu muita solidariedade, inclusive de pessoas que se disponibilizaram a doar.

Leia mais: TRE defere registro de candidatura de Neri Geller

“O imbróglio que aconteceu comigo é única exclusivamente de um depósito que recebi da Bunge Alimentos e Ceará Alimentos, que é minha atividade agrícola, que todos vocês podem e devem acessar. Está na minha declaração de imposto de renda, está na apresentação do meu registro de candidatura. Todas as notas fiscais estão lá. Os juízes aqui de Mato Grosso já me inocentaram no passado, esse processo de cassação foi rejeitado de 5 a 2. Os juízes do Tribunal conhecem o processo e graças a Deus hoje fizeram justiça”, destacou. 

Segundo o candidato, ao cassar seu mandato, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi induzido ao erro pelo Ministério Público. Geller garantiu que irá reverter a decisão que tirou seu mandato. Ele fez um apelo ao juíz-membro Fábio Henrique Fiorenza. “Dr Fábio com muito respeito, mas olhe o processo, eu quero que todos olhem e vejam o que é certo errado.”

Neri Geller afirmou que nestes 21 dias não fará uma campanha de denuncismo. Nesse período, quer mostrar sua atuação como ministro, como secretário da política agrícola, como deputado e o enfrentamento à falta de investimento no Estado e os gargalos de Mato Grosso, a exemplo, a BR-163. “A verdade sempre vai prevalecer, sempre estará em primeiro lugar. O olho no olho vai em conversa com a sociedade e para chamar o adversário ao debate.”

Geller afirmou ainda, que não irá poupar o senador Wellington Fagundes (PL), candidato à reeleição. Segundo ele, seu adversário terá que explicar a questão da delação e o envolvimento de 14 empresas supostamente de propriedade de Wellington que estão recebendo “volume bastante alto” para comunicação.

“Eu pedi esclarecimento para Assembleia Legislativa, não vamos usar isso para politicagem, queremos saber se é verdade, quero saber se realmente 14 empresas no nome do meu adversário tem dinheiro de comunicação, quero ver quanto de dinheiro público irriga essas empresas e se as outras empresas de comunicação tem o mesmo acesso?”, disse o candidato.

Neri Geller que disputa pela coligação da candidata ao Governo, Márcia Pinheiro “pisou em ovos” ao se referir ao governador Mauro Mendes (União), candidato à reeleição. Ele ressaltou que o Governo de Mato Grosso está fazendo investimentos com recursos que trouxe para o Estado. “O asfalto que está sendo feito nos municípios em parceria com o Estado é recurso nosso”, disse o candidato observando que não está “atacando o governador”, disse.

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760