13 de Junho de 2024
13 de Junho de 2024
 
menu

Editorias

icon-weather
lupa
fechar
logo

Polícia Terça-feira, 31 de Maio de 2022, 16:32 - A | A

Terça-feira, 31 de Maio de 2022, 16h:32 - A | A

PLACEBO

Gaeco prende empresário suspeito de compor quadrilha que roubava insumos agrícolas

Conforme o Gaeco, que deu sequência à Operação deflagrada em abril, deve haver mais componentes do grupo criminoso

Jorge Maciel/ VGN

Com mandado expedido pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Mato Grosso e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam nesta terça-feira (31.05) em Rondonópolis (212 km de Cuiabá), um empresário, sob a acusação de ele ser integrante de uma organização criminosa já desmantelada na Operação Placebo, deflagrada em abril.

Com a prisão de hoje (31), na sequência da operação, está sendo investigada a quadrilha acusada de furto, roubo e estelionato para a subtração e desvio de carregamentos de fertilizantes agrícolas. O Gaeco acredita que haja mais integrantes.

O  preso hoje também é acusado de envolvimento em crimes relacionados a organização criminosa e furto qualificado, dentre outros crimes em apuração.   Os suspeitos se faziam passar por empresários, que lavavam o dinheiro com a emissão de notas fiscais falsas como se eles tivessem fabricado ou revendido o produto, conforme suspeitas do Ministério Público.  

Segundo as investigações, foi identificados nomes e constatado furto e roubo de fertilizantes agrícolas em todo Estado, com subtração de fertilizantes e revenda a receptadores dos produtos integrantes da quadrilha, cujos memberos  se faziam passar por empresários, que “lavavam” o produto, emitindo notas fiscais falsas como se eles tivessem fabricado ou revendido as cargas.

Os fertilizantes eram subtraídos durante o transporte para os verdadeiros compradores e substituídos por "placebo" (materiais como sal grosso pintado com corante xadrez na cor vermelha, areia e varredura, como explica a polícia). O prejuízo estimado provocado pela quadrilha gira em torno de R$ 40 milhões, diz o Gaeco.

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 01 - JD. IMPERADOR
CEP: 78125-760 - Várzea Grande / MT

(65) 3029-5760
(65) 99957-5760