Com mais de 10 mil casos de Chikungunya em VG, Saúde inicia combate ao aedes aegypti

Adriana Assunção/VG Notícias

Reprodução/Ilustração

agentes de saúde

 

A Secretaria de Saúde de Várzea Grande inicia a partir de novembro os trabalhos de fiscalização e prevenção contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti – responsável pela transmissão da dengue, Zika Vírus e Chikungunya.

“Vamos começar agora em novembro a parte de capacitação profissional, que vem começando as chuvas, vamos começar a fazer um trabalho focado nessa parte”, afirmou a gerente de Vigilância Epidemiológica de Várzea Grande, Relva Cristina Teixeria.

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica de Várzea Grande, em 2018 o município registrou 1.600 casos de dengue, 10.144 casos de chikungunya e 88 notificações de zika vírus.

De acordo com Relva Cristina Teixeria, houve aumento nos casos da febre chikungunya registrado no período de janeiro a 24 de setembro de 2018. Relva pontuou que em 2017, no mesmo período foram registrados 2.626 casos da febre chikungunya. Já em relação a zika vírus e dengue os números de casos não apresentaram aumento nos registros.

Conforme monitoramento da Vigilância Epidemiológica, em maio de 2018, foi o período com mais casos registrados da febre chikungunya. Segundo o gráfico que aponta a distribuição dos casos da chikungunya por bairro, as notificações e registros ocorreram no Centro Sul do município, com 777 casos.

Entre os bairros com maiores índices da doença estão o bairro: Jardim Glória I com 400 casos, Mapim com 365 casos, Jardim Marajoara I com 341 casos, Jardim Eldorado com 298 casos, São Mateus com 275 casos, Cristo Rei com 252 casos, Jardim Gloria II com 207 casos, Jardim Paula II com 198 casos e Jardim Ouro Verde com 194 casos.

mapa

 


Fonte: VG Notícias

Visite o website: wwww.vgnoticias.com.br