Silval diz que obras são “herança” de seu governo

Silval diz que mesmo sem conhecer a sigla RGA deixou no orçamento

Lucione Nazareth/VG Notícias

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) disse nesta terça-feira (05.07) que está muito confiante que conseguirá junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) revogar o seu pedido de prisão, e assim conseguir a “liberdade”. Ele está preso desde setembro de 2015, no Centro de Custodia de Cuiabá.

O peemedebista relatou que a “confiança” ocorre porque já conseguiu revogar dois pedidos de prisões, e que o STF só não revogou o terceiro porque a defesa deveria ter recorrida em instâncias inferiores e não diretamente ao Supremo.

“Aqui já obtive sucesso revogando mandados de prisões e também no STF. A última decisão o STF não concedeu a liberdade alegando que ainda havia recurso nas instâncias inferiores. Agora está sendo julgado certamente tem que passar pelo STJ e depois ao STF. Nós estamos bastante confiantes,” declarou.

Silval comentou a respeito da “crise política” enfrentada pelo governador Pedro Taques (PSDB) com a greve dos servidores públicos do Estado, fator que atingiu diretamente o ex-governador o deixando sem visitas de familiares no Centro de Custódia devido à greve dos agentes penitenciários.

“Nunca atrasei um dia a folha de pagamento. RGA essa sigla eu não conhecia, já estava dentro do orçamento. Para o governo, eu lamento. Enfrenta uma crise é ruim para o governador Pedro Taques, é ruim não só para os servidores, é ruim para o progresso do Estado”, disse.

O ex-gestor disse ainda, que 90% das obras que estão sendo executadas pelo atual governo, como o programa de pavimentação de rodovias, são 'herança” de recursos e projetos deixados por ele (Silval) para o Estado.

“Eu estou feliz em ver tanta propaganda na televisão de realização do governo, e ainda faz comparativo. Executou mais asfalto do que o Silval e executou mais isso. Mas, não tem nenhuma licitação dele. Todas as obras executadas são recursos que eu deixei, que eu trabalhei com o Mato Grosso Integrado, que mudaram o nome. São recursos que demorei três anos para viabilizar”, cutucou.

Ele ainda acrescentou: “Eu torço para que o Estado vá bem. Agora tem que ser sincero e reconhecer o que os outros deixaram. Cuiabá eu tenho muitas críticas sobre as obras da Copa. Mas, fiz verdadeira transformação e obras que foram realizadas, tem nada haver com a Copa. Obras da Copa era apenas cinco. Cuiabá se tornou o canteiro de obras melhorou a mobilidade urbana da cidade. Infelizmente estou sofrendo esse processo, mas torço para dar certo. Tem que saber levar. Não pode achar que tudo vai cair do céu. Tem que haver mais reconhecimento porque tudo que ele vem fazendo, 90% é recurso que foi deixado”, finalizou. 


Fonte: VG Notícias

Visite o website: wwww.vgnoticias.com.br